Tecnologia no Cotidiano

RoboEarth – A Wikipédia dos robôs

A partir de agora não apenas as pessoas, mas também robôs estarão conectados pela Internet graças ao RoboEarth.

Na próxima semana, após 4 anos de pesquisa, cientistas de 6 universidades europeias lideradas pela Eindhoven University of Technology(Países Baixos), irão apresentar esta plataforma, por intermédio da qual robôs poderão adquirir novas habilidades uns dos outros – uma espécie de Wikipédia para robôs.

Na prática isto poderá significar que, em futuro próximo, teremos robôs aptos a realizar tarefas domésticas ou até mesmo capazes de cuidar de idosos, sendo este último um aspecto interessante considerando a elevação da expectativa média de vida.

Segundo René van de Molengraft, líder do projeto RoboEarth, o problema atual é que os robôs são desenvolvidos especificamente para uma tarefa. As mudanças que ocorrem diariamente em nosso ambiente tornam todas as ações programadas inúteis. Entretanto, o RoboEarth permite que os robôs aprendam novas tarefas e situações uns dos outros, pois todo o seu conhecimento e experiência são compartilhados mundialmente por intermédio de uma base de dados central e online. Além disso, as tarefas processamento de informações são realizadas pelo sistema, valendo-se do conceito de “cloud computing” e reduzindo, desse modo, a necessidade de capacidade de processamento e bateria por parte dos robôs.

Isto significará, por exemplo, que um robô poderá escanear um quarto de hospital e fazer o upload do mapa resultante para o RoboEarth. Um outro robô, que não conheça o quarto e que eventualmente seja alocado no mesmo, poderá usar o mapa no RoboEarth para localizar um copo d’água imediatamente, sem ter que ficar procurando pelo mesmo.

A operação da plataforma será apresentada para uma delegação da Comissão Europeia, órgão que financiou o projeto, usando 4 robôs e 2 simulações de quartos de hospital.

Esta inovação representa um avanço significativo na viabilidade da utilização de robôs para tarefas variadas, na medida em que se supera a limitação advinda da programação específica dos robôs para uma determinada tarefa.

Talvez esteja aí um dos fatores que garantirá a qualidade de vida dos idosos no futuro.

Tagged on: ,

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *